((( Quem mexeu no meu iPod?)))
Quem Mexeu no Meu iPod?






2.7.08

Festival Motomix 2008

Share

Fujiya & Miyagi fizeram um show muito mais do que “correto”, com a precisão que o Hot Chip deveria ter executado no Tim. A banda inglesa levou o público a dançar e cantar juntos, músicas como: "Transparent Things" e "Collarbone", até a animação completa com o hit máximo "Ankle Injuries". Com uma identidade visual “oitentista nerd” e precisão 100%. A reprodução de suas musicas é tão perfeita que poderia soar fria, mas não, é empolgante e sofisticada. A banda superou qualquer expectativa.



Depois foi a vez dos queridinhos “The Go! Team”, com a carismática vocalista Ninja, fez um animado (se não melhor) show da noite, colocando todos pra dançar. Vestida com sua roupa de Cheerleader, ela pulava e dançava e arriscava frases curtas em português. Iniciando o show com "The Power is On" de cara, fez a platéia ir ao delírio. “Grip Like a Vice” animou muito. Até o momento mais sublime do show com o mega- hit indie “Ladyflash” Com o mesmo som abafado característicos dos álbuns de estúdio e doçura nonsense, eles conquistaram definitivamente nossos corações.



A banda canadense Metric (a mais esperada pela maioria) fez um show ok, só conhecíamos algumas músicas, mas do que vimos foi muito bom.Tirando as animadas "Monster Hospital" e "Dead Disco", a banda não tem obrigação de fazer um show tão excitante devido a sua sonoridade mais arrastada; exatamente aí que se prova o despreparo do público presente para um festival gratuito.Muitos reclamaram da falta de animação do show de Metric (na hora do bis a vocalista Emily Haines até perguntou se eles não estavam contentes com a volta da banda para mais uma música) e também muitos reclamaram do tipo de som do The Go! Team; assim como muitos criticaram a proibição de venda de bebidas alcóolicas (na Europa em qualquer festival é proibido também).



O festival foi incrível, gostariamos de ver mais disso na cidade, o povo reclama muito (no fórum de um site chegaram a criticar a gratuidade do festival) e não sabem aproveitar um bom som, num espaço agradável - onde uma boa parte do público que nem conheciam as bandas e estavam lá a passeio com a família, aproveitaram bem mais dos que os wannabes modernos.
Me deixa, fica em casa.

Pós-show fui até a danceteria DJ Club com um amigo - que noite mais entediante, valeu pela companhia, bebida e xoxo que fizemos na pista.Dois meses atrás fui a DJ CLub já cansado do set oitentista do projeto Sound, e na última vez, surpresa: as mesmas músicas, começa comIt's No Good do Depeche Mode, vai para Smiths, The Cure, até chegar ao rock alternativo com Strokes, Franz Ferdinand e Kaiser Chiefs (Everyday I Love You Less and Less é o hino da casa) - set que levou o povo ao delírio (reflexo do povo boring do Motomix?).E mais: casa lotada (lá fora a fila só aumentava); resultado de uma fórmula que deu certo e medo de inovar.

Pois é, para os tupiniquins moderrnos do inferno, Hot Chip só em 2015.

Um comentário :

Pedro disse...

Concordo...

há tempos a DJ Club deixou de ser um lugar legal...

qto ao motomix, não fui (pena), mas pelo que tenho ouvido falar, vai ser uma coisa que vou me arrepender durante um bom tempo ainda.

abraço!