((( Quem mexeu no meu iPod?)))
Quem Mexeu no Meu iPod?






19.7.17

Special Shuffle 11 Ctrl + Alt + Del

Share



No dia 16 de junho de 1997 o mundo da música sofreu um recente reboot. Depois de dois discos no embalo do rock alternativo britânico e mais palatáveis ao público (Pablo Honey, 1993 e The Bends, 1995), hits consagrados (Creep, Fake Plastic Tree, High and Dry), turnês de arena em inúmeros países, fazendo a abertura do R.E.M. e uma pressão dos fãs e das produtoras para algo novo, eis que surge OK Computer. Aclamado pela crítica como o melhor disco da banda de Thom Yorke, Jonny Greenwood, Colin Greenwood, Ed O' Brien e Phil Selway, o trabalho foi resultado da liberação criativa da parte da gravadora Capitol Records para a superbanda lançar o que quisesse.

O disco mostra o grupo Radiohead experimentando em diversos sentidos musicais com as estruturas das canções, processos de gravação (Thom Yorke chegou a cantar dentro de uma sala de vidro) e a incorporação de influencias ambient, avant garde e eletrônica - um verdadeiro compilado de referências que vão desde os Beatles, Bitches Brew, de Miles Davis até compositores contemporâneos como Ennio Morricone, famoso pelas suas trilhas sonoras de Western.

Comparado com "The Dark Side of the Moon" por alguns críticos, OK Computer foi escrito por Thom Yorke inspirado e observando a velocidade em que o mundo avançava nos anos 90. As letras com diversos pontos de vista e personagens são mais abstratas que seus trabalhos anteriores, como fragmentos de um diário nervoso, imagens de manifestações políticas, a angústia vivida nos subúrbios e abstrações sobre o tempo e espaço e pessoas enlouquecendo com o passar do rápido tempo. Soa atual? OK Computer profetizou o sentimento de uma geração que se arrasta por meio do consumo compulsivo, pressões de uma sociedade superficial e que demanda superficialidade dela mesma, além de uma sensação de neutralidade e falta de emoção.

OK Computer rendeu à banda sua primeira performance no Festival Glastonbury, diversos prêmios (entre eles um Grammy), clássicos como Paranoid Android, Karma Police e No Surprises, presença audiovisual fortalecida com clipes e um documentário sobre a turnê.

OK Computer é o som do rock sendo tratado como um vírus numa urgente necessidade para ser decodificado.


Baixe aqui (salvar arquivo como...)

Intro
01 The Beatles - Happiness is a Warm Gun (undubbed version)
02 DJ Shadow - Building Steam With a Grain of Salt
03 Joy Division - Day of the Lords
_Airbag
04 Pixies - Caribou
05 Queen - Bohemian Rhapsody
_Paranoid Android
06 Miles Davis - Pharaoh’s Dance
_Subterranean Homesick Alien
07 Ennio Morricone - Bambole
08 Johnny Cash - Dark as the Dungeon
09 Genesis - Aisle of Plenty
_Exit Music (for a Film)
10 Slowdive - Souvlaki Space Station
_Karma Police
11 George Harrison - Let it Down
_Let Down
12 The Beatles - Sexy Sadie
_Karma Police
13 Penderecki- Threnody for the Victims of Hiroshima (Edit)
_Climbing Up the Walls
14 R.E.M. - These Days
_Electioneering
15 The Beach Boys - Wouldn’t it Be Nice
16 The Velvet Underground & Nico - Sunday Morning
_No Surprises
17 Pink Floyd - Echoes (The Tourist Edit)
_Lucky, The Tourist


Ouça também:
Special Shuffle 07 Fake Plastic Shuffle com as influencias dos primeiros anos da banda em "Pablo Honey" e "The Bends".

5.6.17

Any Shuffle 96 Let's All Hope That This All End Up Soon - Part 4

Share





Baixe aqui (salvar arquivo como...)


I’ve heard this sound before. This voice. I’ve never heard it at my home. Never heard it on my room. This voice belongs outside. On the streets. The voice that carries me out. The voice without a face. The voice only. And it penetrates on my ears. Going down through my throat. I feel it weakening my gut. And then the silence. The haunting silence. And nothing. And the darkness. I feel the floor on my back. The ghosts from March are still here. And tomorrow everything will be repeated. Let’s all hope this all end up soon.


01 Michael Kiwanuka - Cold Little Heart
02 sir Was - In the Midst
03 Youth Lagoon - Highway Patrol Stun Gun
04 Ezra Furman - Haunted Head
05 Josefin Öhrn + The Liberation - Take My Beyond
06 Braids - Getting Tired
07 Goldfrapp - Faux Suede Drifter
08 Kid Koala & Emiliana Torrini - Nightfall Pale Blue
09 Magical Cloudz - Disappeared
10 Marissa Nadler - Hungry is the Ghost
11 Local Natives Ultralight Beam

Ouça também:
Part 1, Part 2, Part 3.




15.3.17

Favoritos 2016 | Filmes

Share




Em ordem alfabética.

A Bruxa
Inquietante e hipnotizante, A Bruxa é mais um filme de arte do que um de terror.


A Criada
Um melodrama de suspense erótico para ser degustado. Sempre violento, mas nunca gratuito, aqui Chan-wook Park (Oldboy) nos apresenta a uma violência diferente... uma violência entre o amor e o dinheiro. Filme praticamente perfeito.




A Chegada
Um quebra-cabeça lindamente polido e ambicioso que equilibra bem o emocional e o cerebral. E, como toda boa ficção científica, tem algo pertinente a dizer sobre o mundo de hoje. Especialmente sobre a importância da comunicação, e como precisamos transcender divisões culturais e erros se quisermos sobreviver como uma espécie. Amy Adams apaixonante!



A Paixão de JL
Documentário sobre os últimos anos de vida do artista plástico José Leonilson Bezerra Dias (1957-1993). A partir de 1990, o artista começou a narrar seus sonhos, rotinas e pensamentos num gravador. O resultado é uma narrativa singela, eficiente, sensível e puramente emocional.



Animais Noturnos
O que esperar de um filme do Tom Ford, um perfeccionista? Um elenco fudido (Amy Adams, Jake Gyllenhaal, Michael Shannon, Laura Linney), uma fotografia que parece ter sido tirada de um livro da Taschen, um roteiro bem articulado que mistura presente, passado e ficção e uma malícia sarcástica sofisticada! Imperdível!



Aquarius
Sincero, político, psicológico e tocante. Sonia Braga num papel denso e multi-facetado, onde ela mergulha majestosamente investindo dignidade e originalidade a personagem enquanto explora suas alegrias, falhas e tristezas. Um filme necessário e atual.
Capitão América: Guerra Civil
Um ótimo refresh que a franquia precisava e acima de tudo, divertido! O verdadeiro campeão aqui é o Team Marvel.


Deadpool
Um filme de super-herói pra galera do fundão - nunca se levando a sério, muito engraçado, violento, sacana e sagaz!


Depois da Tempestade
Um filme simples, mas nada simplista e bem sutil em seu charme e suas emoções - diferente do seu filme anterior Life Father, Like Son. O diretor Koreeda aqui explora os momentos honestos de seus personagens quando arranca suas coragens ao expressar seus desejos mais profundos, embora inatingíveis.






















   Elle
Provocador, ousado, perverso e erótico! Michelle mostra como defender a si mesma (e seus desejos) em grande estilo. Isabelle Huppert é a melhor!



Eu, Daniel Blake
Ken Loach conta histórias sobre o dia a dia como ninguém. E aqui não é diferente. Com sensibilidade e tristeza explora a austeridade burocrática e desumana dos governos enquanto o lado humano floresce na relação entre Daniel Blake e Katie. A estética neorealista e as lembranças labirínticas de Kafka só reforçam a indignidade do monstro que os condena.



Julieta
A tragédia grega e silenciosa de Almodóvar. Julieta é puro drama. Sóbrio, contido. Tão áspero quanto a vida.


Kubo e as Cordas Mágicas
Visualmente perfeito, super criativo e um pouco complexo! Fazia tempo que eu não ouvia uma história tão imaginativa!


Mapplethorpe: Look at the Pictures
O doc sobre o controverso fotógrafo fornece uma visão sem firulas e confidente sobre a vida e o trabalho deste gênio e sua implacável ambição. Mapplethorpe foi consumido pela fama em todos os sentidos e tudo e todos foram meios para um fim. O seu.


Moonlight: Sob a Luz do Luar
Lírico e delicado, a direção segue sem fim seu forte personagem por meio de silêncios de raiva e frustração que se transformam em intimidade. Maravilhoso.


O Apartamento
Mais low profile que seus filmes anteriores (A Reparação, O Passado), mas com um ritmo e uma tensão na qual ele é mestre. Uma narrativa que se constrói inquieta e persistente de impotência e paranóia. Um filme sobre abusos. Imperdível!



Other People
As emoções correm soltas aqui. Qualquer um que já perdeu algum parente, anseia por um amor ou aceitação, vai facilmente se identificar. Um filme fantástico. E Jesse Plemons (Fargo, Segunda Temporada) e Molly Shannon estão perfeitos



Poesia Sem Fim
O melhor de contar sua própria história no cinema é poder retratar visualmente da forma mais criativa possível e impossível, se tratando de Jodorowsky. Cheio de invenções livres, comédia surreal e emoções genuínas.



Rua Cloverfield, 10
A tensão é perversa, inteligente e divertida!


Sing Street: Música e Sonho
Praticamente impossível não gostar deste filme: boas músicas, ótimos diálogos, personagens irresistíveis e um charme a la John Hughes!


Wiener-Dog
Não é que não há humor ou alegria na vida. Há sim! Mas não se engane.
Mesmo quando é sensível, Todd Solondz é único. Ele não se preocupa com o conforto do público e seus filmes têm sempre um olhar cruel e intransigente, especialmente para a indústria dos finais-felizes. Solondz representa a realidade, ou a realidade dele. Seja ela hilária, absurda, fútil, miserável ou sensível.
Greta Gerwig, Danny DeVito e Ellen Burstyn estão maravilhosos!


Zootopia
Funciona dos dois jeitos: um exame oportuno e esperto dos preconceitos da sociedade e também uma ótima aventura engraçada com criaturinhas fofas e ótimos personagens!


17.2.17

Any Shuffle 95 Um Dia de Calma Inventada

Share


Olhar a cidade me acalma.
Vou sonhar um dia que somente existirá na minha imaginação. A única condição real é estar sozinho.
Ontem me fiz de ridículo, mas isso não me afeta hoje, e pedi perdão.
Esta tarde, embora ainda nada aconteceu realmente, fui andar por aí e fiz retratos anônimos.
Finalmente veio a noite e acendi a luz.
Finalmente, um dia de calma inventada!


Baixe aqui (salvar arquivo como...)

01 Ney Matogrosso - Promessas Demais
02 Gal Costa - Hotel das Estrelas
03 Caetano Veloso - You Don’t Know Me
04 Cazuza - Um Trem para as Estrelas
05 Céu - Perfume do Invisível
06 Pato Fu - Antes Que Seja Tarde
07 Arnaldo Antunes - Naturalmente, Naturalmente
08 Milton Nascimento - Tudo o Que Você Podia Ser
09 Raul Seixas - A Maçã
10 Cássia Eller - Queremos Saber
11 Nelson Cavaquinho - Juízo Final
12 Cartola - Preciso Me Encontrar

Disponível também no Spotify:

13.2.17

Any Shuffle 94 International Klein Blue

Share


The invisible becoming visible. The color of amnesia. Forget about dark past. Sublime peace. Musical therapy. Recovery shuffle. For a traumatized person. There is a number of small things burning inside of me. Aching below the surface. A new world calls for a new man.


Baixe aqui (salvar arquivo como...)

01 Doctor Flake - La Tête dans les Etoiles
02 Christine and the Queens - Saint Claude (Tourist Remix)
03 PARTS - Pieces
04 Troye Sivan - WILD (Scout & Grey Remix)
05 Louis The Child - It’s Strange (feat. K. Flay)
06 Klyne - Water Flow
07 Låpsley - Cliff
08 Moses Sumney - Plastic
09 Hooverphonic - You Love Me To Death
10 Ghostpoet - Nothing In The Way


Also listen: Troublue

9.2.17

Favoritos 2016 | Séries

Share






American Crime Story: The People Vs. O.J. Simpson
Elenco fantástico, narrativa de primeira e mais importante do que aparenta ser! Entretenimento puro que é difícil parar de assistir!



Atlanta 
Real, honesto e instigante. Único em todos os aspectos - Donald Glover é um rapaz de imenso talento. Uma excelente surpresa!
















Baskets

Uma comédia amarga e deprimente sobre pessoas tristes. Para quem gosta de Louie C.K. e Todd Solondz. Destaque para o ator Louie Anderson que interpreta a mãe de Zach Galifianakis.








Better Things
A série equilibra bem as relações entre mãe e filhas, entre a gritaria e o abraço. Sem frescura, afiado e de tom feminista, assim como Pam Adlon!





Bojack Horseman


O time criativo conseguiu explorar diversos cenários desta sátira sobre Hollywood de dentro da cabeça do personagem título. A 3ª temporada está mais engraçada, mais esquisita e mais profunda que as anteriores. Tudo isso até a tensa season finale!



Chewing Gum

Michaela Coel (protagonista e escritora) tem um grande talento em transformar situações do dia a dia em situações absurdinhas. Risadas vergonhosas, escrita afiada e dinâmica com uma doçura extra. Tracey, estamos com você!




Daredevil


Mais violência, mais visuais impactantes, mais construção de personagem, mais lutas elaboradas, mais Justiceiro! O Universo Marvel só se expande e o resultado é foda!






Dirk Gently's Holistic Detective Agency

Estranho, engraçado, violento como um desenho animado e quase, mas não inteiramente o contrário de confuso. O tipo de série para dar o play e curtir. E é baseado nos livros de Douglas Adams, então é meio que obrigatório!



Fleabag

Phoebe Waller-Bridge é a minha mais nova queridinha da comédia. Além de ser protagonista, ela também escreve essa série britânica de humor negro. É impressionante como ela se joga de corpo e alma nas cenas até chegar a uma piada absurda no final. Cada um dos seis episódios são variações da ótima personagem que ela criou: um mergulho na selvageria, humor de falsiane e frustrações pessoais, profissionais e especialmente, sexuais. Imperdível!
Game of Thrones

Se tem uma coisa que realmente unifica a humanidade, é GoT. 
A sexta temporada começou a preparar um terreno de tenebroso inverno (sim, finalmente o inverno chegou) que não está nos livros e está repleta de momentos do tipo "eu não acredito que isso está acontecendo"!
Love

Love se comunica com muita honestidade o que seu criador Judd Apatow almeja graças a forma crível que Gus e Mickey atravessam juntos tempo, espaço e suas próprias inseguranças. Reserve um tempinho para Love e será recompensado!
Mr. Robot

O mundo ao nosso redor é obscuro e apenas as imagens mais evidentes podem ser vislumbradas e as dúvidas que nos colocam são até mais satisfatórias do que as respostas. Bem... depende do que você entende por "respostas"...

Mr. Robot lida com sua história de uma forma que poucas outras séries ainda tentam abordar. Parecida com "The Leftovers", onde apostam mais na narrativa que pode ser descoberta do que na exploração de respostas certas. Como se enfileirassem várias peças de dominó e se recusassem a derruba-las. Mas é inegável que essa temporada foi bem servida com temas filosóficos e existenciais profundos.
Orange is the New Black

Entre extremos de humor negro e tragédia (muitas vezes de partir o coração) em suas sub-tramas sobre doenças mentais, vícios, conflitos raciais e empoderamento feminino - a quarta temporada ganha um novo fôlego (e novos personagens). E isso é algo bem raro para uma série que ainda tem muitas histórias para contar.
Stranger Things

As coisas não são tão estranhas assim... Ao contrário, são bem familiares. O que é cópia, referência ou homenagem nessa série? De qualquer forma, ela foi feita pra você, que já conhece a história, os personagens, as cenas e a trilha sonora. O melhor pastiche do ano é a melhor série dos últimos tempos da última semana. Acredite no hype - é divertido!
Tá no Ar

A genialidade do programa está em sua dinâmica que favorece quem assiste TV pelas redes sociais: em forma de meme, numa edição mais rápida que a sugerida pela MTV nos anos 90. A outra parte da genialidade está na redação ferrenha e no foco da crítica: a TV e a nós mesmos.
The Crown

A série é as vezes sóbria demais e muito lenta (propositalmente), mas o figurino e a direção de arte são meticulosos, tudo extremamente bem coreografado: de um lanche da tarde a uma reunião inesperada ou um passeio de trem. Um curso imersivo de história para entender todos os paranauê da realeza. Uma série para ser apreciada. John Lithgow rouba todas as cenas como Winston Churchill.

The Get Down

Além do incrível elenco, do visual e da trilha sonora maravilhosa e viciante (a playlist no Spotify é perfeita para uma festa), o que movimenta esta série é a paixão dentro de cada elemento desta produção grandiosa! A linguagem é autêntica e crua e a mão pesada e dramática do Baz Luhrmann não estragou os embalos do hip-hop, punk e disco nos anos 70 em Nova Iorque.

The OA

Tudo que Brit Marling faz é no mínimo interessante. A atriz, produtora, roteirista e diretora tem um incrível talento em mesclar perfeitamente drama com ficção científica. Uma série exótica que tem um final que pode decepcionar alguns. Ainda bem (ou não) que teremos uma segunda temporada!
Uma outra dica? Todos os filmes anteriores de Brit Marling!

Veep

UAU! Tá certo que o Brasil tá bem parecido com House of Cards feat. Zorra Total (Buñuel Thunderpuss remix).mp3, mas eu super aposto em VEEP, que mata no peito, é engraçada, sacana e trágica ao mesmo tempo! <3 span=""> Julia Louis-Dreyfus FOREVA!
A expectativa é altíssima para a sexta temporada depois da vitória de Trump!

Westworld

O que dizer da melhor série de 2016 que não foi dito ainda? Não é só uma série perfeita, é viva, entretenimento que questiona até o seu lado mais obscuro. O melhor do primeiro episódio de Westworld é abrir um mundo de possibilidades. É sugerir que algo MUITO FODA está prestes a acontecer. Toda a narrativa é construída pela iminência da morte - a toda hora! E aquele final... batendo uma mosca contra o pescoço... é a soma de tudo. Sim, estou torcendo pelos robôs! E eu acho que os roteiristas também! Conseguiu mudar um pouquinho do original e transformou em algo completamente novo!