((( Quem mexeu no meu iPod?)))
Quem Mexeu no Meu iPod?






18.7.08

Bjomesubdesenvolva IX

Share



ALCINO LEITE NETO - ultima.moda@grupofolha.com.br

Justice para poucos

A loja Surface to Air lança amanhã em São Paulo a microcoleção que produziu para a dupla francesa, que toca no Brasil em setembro

Se eles não fizessem música eletrônica, certamente seriam ilustres figuras do rock. Seu som é agressivo, forte, urgente.
Gaspard Augé e Xavier de Rosnay, integrantes do Justice, um dos maiores hypes da incensada nova geração de bandas francesas, não estão para brincadeiras nem querem simplesmente animar as pistas.
Há poucos meses, um dos clipes da dupla, "Stress", dirigido por Romain Gavras, incendiou a opinião pública francesa.
Mostra um grupo de garotos pobres, filhos de imigrantes, agredindo pessoas e destruindo carros em Paris. Para a França, o assunto é delicado. O clipe é uma ficção realista que apenas reproduz o que de fato já ocorreu várias vezes no país.
"Acho que o Justice não teve uma intenção política com o vídeo, queria apenas buscar imagens fortes e colocar um ponto de interrogação na cabeça do público", diz o francês Jéremie Rozan, um dos donos da grife e empresa multimídia Surface to Air, sobre a polêmica.
Mas o que Rozan tem a ver com isso? Além de dirigir a Surface to Air, ele é amigo dos músicos, dirigiu um de seus clipes (o premiado "We Are Your Friends") e foi escolhido pelo Justice para produzir a primeira série de roupas da dupla.
Rozan, 33, e um de seus sócios, o fotógrafo argentino Santiago Marotto, 35, estão no Brasil para o lançamento da coleção do Justice, amanhã, na filial brasileira da Surface to Air (al. Lorena, 1.989, São Paulo).
Na verdade, uma microcoleção. São duas jaquetas de couro e dois modelos de calças jeans, em tons de preto e cinza, que devem deixar os fãs da dupla alucinados. As roupas seguem à risca a proposta do Justice - levam o melhor do estilo rocker para o território clubber.
"Eles adoram vestir jeans e jaquetas de couro. Acho até que dormem com essa roupa", brinca Rozan. "São colecionadores de jaquetas, mas sempre diziam que era difícil encontrar o modelo perfeito. Então os convidamos para criar as peças exatamente do jeito que desejavam", conta Marotto.
A Surface to Air é um dos grupos de criação mais antenados do planeta. O toque muito contemporâneo que sabe dar às roupas e às imagens foi o que levou a Louis Vuitton a contratar a equipe para fazer uma campanha de jóias estrelada pelo rapper Pharell Williams, que trabalhou com Madonna.
Para Rozan, a diferença entre criar para o Justice e para a Louis Vuitton é apenas de "quadro". "Temos a mesma liberdade, em quadros diferentes de atuação. Se não nos dão liberdade, nós a tomamos", diz. "Mesmo quando criamos para a Vuitton, tentamos quebrar os limites", completa Marotto.
Os vídeos do Justice são acessíveis a qualquer pessoa, pois estão disponíveis gratuitamente na internet. Para ter uma roupa da dupla, porém, é preciso esvaziar os bolsos.
Cada jaqueta custa R$ 2.200. Cada calça, R$ 420. Apesar dos preços salgados, já existe lista de espera na loja, que também está trazendo ao Brasil, no próximo mês, a cobiçada coleção Play, da vanguardista grife japonesa Comme des Garçons.

com VIVIAN WHITEMAN
da Folha Ilustrada de hoje

Nenhum comentário :