Quem Mexeu no Meu iPod?






23.2.09

Los Abrazos Rotos Teaser Trailer

Share

Teaser do próximo filme de Almodóvar.



A trama essencial é sobre um diretor de cinema (Lluis Homar) que sofre um acidente de carro e fica cego. Então, ele relembra o seu passado, quando teve um relacionamento com uma atriz (Penélope Cruz). No teaser muito rápido, uma pegada dramática, lembrando Fale com Ela, mas espero o bom humor de Almodóvar, guiando mais uma vez a ganhadora do Oscar Penélope Cruz. O filme estréia em março, na Espanha.

Oscar 2009 - Os Vencedores

Share



Sem ter assistido a premiação não deu para saber como foi o Oscar 2009, se foi corriqueiro e chato como os últimos anos, mas deu para ter uma idéia. Algumas justiças, outras injustiças como todo ano é. O chatinho do Slumdog Millionaire faturou oito prêmios, até o de Melhor Filme comprovando seu favoritismo, e a gente aqui do iPod com a mesma cara de quando Crash ganhou de Brokeback - enfim, é Hollywood. Ou seria Bollywood?
Sean Penn ganhou merecidamente o Oscar de melhor ator por Milk e lendo por aí sabe-se que fez o melhor discurso, elogiando Mickey Rourke por sua atuação em O Lutador. A digna Kate Winslet recebeu seu prêmio pelo filme O Leitor, onde parecia não acreditar e fez a piadinha do Oscar como embalagem de shampoo enquanto praticava um discurso no banheiro aos oito anos de idade. Enfim a novelinha Heath Ledger vai ganhar um Oscar Póstumo ? terminou bem. Por sua atuação em Batman - O Cavaleiro das Trevas, o prêmio foi recebido por seus pais e irmãs. Se ele estivesse vivo, ganharia o prêmio? Penélope Cruz venceu o Oscar por Vicky Christina Barcelona, onde foi dirigida por Woody Allen - ela só funciona nas mãos de bons diretores? Merecido, ela estava ótima no filme. Bem melhor que Scarlet Johansson. E o incrível Wall•E ganhou como melhor animação, vencedor óbvio, mas estavamos na torcida. Abaixo, a lista completa dos vencedores.

Melhor Filme

* Quem Quer Ser Um Milionário?
* Frost/Nixon
* O Curioso Caso de Benjamin Button
* Milk - A Voz da Liberdade
* O Leitor

Melhor diretor

* Danny Boyle - Quem Quer Ser Um Milionário?
* David Fincher - O Curioso Caso de Benjamin Button
* Ron Howard - Frost/Nixon
* Gus Van Sant - Milk - A Voz da Liberdade
* Stephen Daldry - O Leitor

Melhor ator

* Sean Penn - Milk - A Voz da Liberdade
* Mickey Rourke - O Lutador
* Frank Langella – Frost/Nixon
* Brad Pitt - O Curioso Caso de Benjamin Button
* Richard Jenkins - The visitor

Melhor atriz

* Kate Winslet – O Leitor
* Meryl Streep – Dúvida
* Anne Hathaway – O Casamento de Rachel
* Angelina Jolie – A Troca
* Melissa Leo - Rio Congelado

Melhor ator coadjuvante

* Heath Ledger - Batman – O Cavaleiro das Trevas
* Josh Brolin - Milk - A Voz da Liberdade
* Robert Downey Jr. - Trovão Tropical
* Philip Seymour Hoffman - Dúvida
* Michael Shannon - Foi Apenas um Sonho

Melhor atriz coadjuvante

* Penélope Cruz - Vicky Cristina Barcelona
* Amy Adams - Dúvida
* Viola Davis - Dúvida
* Taraji P. Henson - O Curioso Caso de Benjamin Button
* Marisa Tomei - O Lutador

Melhor Animação Longa-Metragem

* Wall-E
* Bolt - Supercão
* Kung Fu Panda

Melhor Roteiro Adaptado

* Quem Quer Ser Um Milionário?
* O Curioso Caso de Benjamin Button
* Dúvida
* Frost/Nixon
* O Leitor

Melhor Roteiro Original

* Milk - A Voz da Liberdade
* Rio Congelado
* Simplesmente Feliz
* Na Mira do Chefe
* Wall-E

Melhor Direção de Arte

* O Curioso Caso de Benjamin Button
* A Troca
* Batman – O Cavaleiro das Trevas
* A Duquesa
* Foi Apenas um Sonho

Melhor Fotografia

* Quem Quer Ser Um Milionário?
* A Troca
* O Curioso Caso de Benjamin Button
* Batman – O Cavaleiro das Trevas
* O Leitor

Melhor Figurino

* A Duquesa
* Austrália
* O Curioso Caso de Benjamin Button
* Milk - A Voz da Liberdade
* Foi Apenas um Sonho

Melhor Filme Estrangeiro

* Okuribito (Japão)
* The Baader Meinhoff Complex (Alemanha)
* Entre os Muros da Escola (Entre les Murs - França)
* Revanche (Áustria)
* Waltz with Bashir (Israel)

Melhor Documentário

* O Equilibrista
* The Betrayal (Nerakhoon)
* Encounters at the End of the World
* The Garden
* Trouble the Water

Melhor Documentário Curta-Metragem

* Smile Pinki
* The Conscience of Nhem En
* The Final Inch
* The Witness
* From the Balcony of Room 306

Melhor Montagem

* Quem Quer Ser Um Milionário?
* O Curioso Caso de Benjamin Button
* Batman – O Cavaleiro das Trevas
* Frost/Nixon
* Milk - A Voz da Liberdade

Melhor Maquiagem

* O Curioso Caso de Benjamin Button
* Batman – O Cavaleiro das Trevas
* Hellboy II - O Exército Dourado

Trilha Sonora Original

* Quem Quer Ser Um Milionário?
* O Curioso Caso de Benjamin Button
* Defiance
* Milk - A Voz da Liberdade
* Wall-E

Melhor Canção Original

* "Jai Ho" - Quem Quer Ser Um Milionário?
* "Down to Earth" - Wall-E
* "O Saya" - Quem Quer Ser Um Milionário?

Melhor Curta Animado

* La Maison en Petits Cubes
* Lavatory - Lovestory
* Oktapodi
* Presto
* This Way up

Melhor Curta Live-Action

* Spielzeugland (Toyland)
* Auf Der Strecke (On the Line)
* Manon on the Asphalt
* New Boy
* The Pig

Melhor Edição de Som

* Batman – O Cavaleiro das Trevas
* Homem de Ferro
* Quem Quer Ser Um Milionário?
* Wall-E
* O Procurado

Melhor Mixagem de Som

* Quem Quer Ser Um Milionário?
* O Curioso Caso de Benjamin Button
* Batman – O Cavaleiro das Trevas
* Wall-E
* O Procurado

Efeitos Especiais

* O Curioso Caso de Benjamin Button
* Batman – O Cavaleiro das Trevas
* Homem de Ferro

22.2.09

Imagine There's No Apple

Share


Imagine se fosse gravada nos dias atuais.

Imagine there’s no Apple,
No products that begin with “i,”
No monthly iPod models,
No Apple stores to get you high.
Imagine all the people
Finding other things to do!

Imagine there’s no bloggers…
It isn’t hard to do!
No viruses or spyware,
No weekly Windows patches, too

Imagine all the people
Learning to get a life…

(You-hoo-hoo!)

You may say it’d be a nightmare
Without Google, Mac or Dell
We might have real conversations–
But the world would be dull as hell!

Imagine no new cellphones;
Kiss console games goodbye.
No David Pogue or Mossberg
To tell us what to buy.
Imagine all the people
Getting some exercise!

(You-hoo-hoo!)

You may say that I’m a loony
But rest assured I’m almost done.
I’m pretty sure it’ll never happen
So we nerds can live as one!

Simpsons ganha nova abertura

Share

Depois de 20 anos no ar, Os Simpsons, ganha nova abertura, em HD - a idéia é a mesma, mas foram implantados novos detalhes e piadas.

18.2.09

Dignidade Djá!

Share



"Já aperfeiçoei meu sorriso de perdedora" Kate Winslet, não indicada por Foi Apenas um Sonho, indicada por O Leitor.

17.2.09

There's a Light

Share



Escrita com seu marido, o motorista do caminhão, numa estrada durante uma madrugada, There's a Light está mesmo numa encruzilhada: entre o gospel e o rockabilly - é o que diz a descrição da compilação Downriver Revival da gravadora independente Numero Group que continua a desenterrar achados quase esquecidos.
Quase esquecidos também por quem cantou. Shirley Ann Lee ficou quase 40 anos sem ouvir uma música sequer de poucas gravadas. O curto e emocionante clipe abaixo documenta a cantora ouvindo depois de muito tempo suas próprias músicas.



Altamente recomendado:
MP3 shirley ann lee :: there's a light
MP3 shirley ann lee :: get back

Music Video Watch

Share

The Ting Tings - We Walk

Na pegada do mainstream, clip dá soninho...

The Presets - If I Know You

Do duo eletronico australiano, quinto single do segundo álbum. Prefiro a música e o clipe Talk Like That. E ainda, roubaram idéia desse outro vídeo rsrs.

Fever Ray - When I Grow Up

Palavras de Karin Dreijer: "A idéia inicial era algo sobre alguma coisa saindo da água -- alguma coisa que iria adquirir forma -- um estado se transformando em algo novo. E uma criatura com duas cabeças não se decidindo para onde ir. Mas a idéia teve que partir para uma forma simples, deixar a música crescer por si só. Eu lembrei de uma foto que eu tirei na Croacia dois anos atrás, uma piscina com um azul brilhante numa neblina cinzenta." Se joga nessa piscina, ótimo clipe!

Simian Mobile Disco - Synthesise

Cool... vale a pena relembrar Hustler!

Kanye West - Welcome to Heartbreak

O rapper em versão pixels defeituosos estilosa.

Fare Soldi - Survivor

Descobri esse cara e esse vídeo procurando por conteúdo, adorei o visual do clipe tanto quanto a música, fica a dica ;)

13.2.09

SetListFev09 - Pop!

Share



Um filósofo escreve um livro para explicar algo. O pop cria um ícone.

"Um POP é alguma coisa que não podemos ver, ou não vemos, ou nosso cérebro não nos deixa ver porque pensamos que é um problema de outra pessoa. É isso que POP quer dizer: PROBLEMA DE OUTRA PESSOA. O cérebro simplemente o apaga, como um ponto cego. Se você olhar diretamente para ele, não verá nada, a menos que saiba exatamente o que é. A única chance é conseguir ver algo olhando de soslaio”
Douglas N. Adams. “A vida, o Universo e Tudo mais”. Capítulo 4.

SetListFev09 Pop LINKs FUNCIONANDO Parte 1 90 MBParte 2 43 MB
Tracklist

01 - Georges Deligny - Panique Au Salon
02 - Kleerup - Longing For Lullabies (With Titiyo)
03 - YMCK - Down Town
04 - Creature - Pop Culture
05 - Royksopp - Happy Up Here
06 - VEGA - Well Known Pleasures
07 - Jenny Wilson - Let My Shoes Lead Me Forward
08 - Heloise and the Savoir - Faire Illusions
09 - Macho - Got To Make A Move
10 - Zeigeist - Dawn Night
11 - Little Boots - Stuck on Repeat (Alexander Robotnickrmx)
12 - Lindstrom - I Feel Space
13 - Street Lords - Its What U Do 2 Me (Jack Beats rmx)
14 - Dolby Anol - Dolby & Gabbana
15 - Franz & Shape - Psichedelica
16 - Estelle - American Boy (Killer On The Dancefloor rmx)
17 - The Victorian English Gentlemens Club - La Mer (Nite Cells rmx)

No Set de um mês com muita correria, muitas coisas acontecendo e pouco tempo para pensar mas mesmo assim sempre com o iPod nos ouvidos, tem o pop video-game japonês da banda YMCK, o pop debochado e oitentista da Creature (review em breve), o pop phynno muderrno do Royksopp, o hit pop indie de Little Boots em versão nervosinha, o pop dark do Zeigeist, além de outros pops. Pop!

12.2.09

Cias de Teatro Comemoram Aniversário

Share

Duas das melhores Companhias de Teatro do Brasil, estão em cartaz em São Paulo. Dia 19 de Janeiro a Cia Vertigem de Teatro inaugurou sua nova sede na Bela Vista e continua em cartaz, a leitura cênica da peça: Histórias de Amor (Último Capitulo) de Jean-Luc Lagarce.

Jean-Luc Lagarce, autor de “História de Amor (Últimos Capítulos)”, é um dramaturgo contemporâneo francês dos mais encenados na Europa na atualidade, mas ainda pouco conhecido no Brasil. Falecido prematuramente aos 39 anos de idade, vítima de Aids, deixou uma obra bastante prolífica e original. Escreveu mais de vinte e cinco textos: "Le Pays Lointain", "J´étais dans ma maison et j'attendais que la pluie vienne", "Nous, les héros", "Apenas o Fim do Mundo" e "História de Amor (Últimos Capítulos)".

“História de Amor (Últimos Capítulos)”, escrito em 1983, trata do encontro de um homem e de uma mulher com um outro homem, com quem ambos tiveram uma história de amor. Eles, ao fim desse romance-a-três, o abandonam para viverem juntos. Esse homem, então, sozinho, escreve, lê, lembra-se da história que os uniu no passado. É a lembrança de uma história, mas também a sua recriação. Trata-se, é claro, do amor entre essas três pessoas, mas também de um amor pela própria escrita, pelo próprio ato de escrever ou de criar, e em última instância, pelo próprio teatro. Imperdível.



Teatro da Vertigem – Serviço
Inauguração da sede e reestréia de História de Amor (Últimos Capítulos)
De Jean-Luc Lagarce
Data: 16 de janeiro de 2009, às 21 horas, até 8 de março de 2009
Local: SEDE TEATRO DA VERTIGEM: Rua 13 de Maio, 240 – 1º. Andar - Bela Vista – São Paulo/SP
Telefone: 3255 2713
Lotação: 50 lugares
Temporada: Sab, 21h, dom, 20h
Duração: 50 minutos
Ingresso: Grátis, retirada com uma hora de antecedência
Recomendação: 14 anos

"O teatro pode ser muito mais do que o que vemos hoje. É possível frequentar feudos diferentes, mesclar formatos; os radicalismos tribais nunca nos conquistaram".
Felipe Hirsch

E para dar largada às comemorações de seus 15 anos de atividade, a Sutil Companhia de Teatro, elegeu a cidade de São Paulo, cujo público se identifica com “o fazer” da companhia Curitibana. De terça-feira (4) até 5 de abril, o Teatro Popular do SESI, na Avenida Paulista recebe a Mostra Sutil 15 anos, que reúne três importantes criações das 23 realizadas desde a fundação da companhia: Avenida Dropsie (2005), recriação cênica do universo do quadrinista Will Eisner, e o intimista Não sobre o Amor (2008), inspirado na correspondência do formalista russo Victor Shklovsky com sua amada, durante o exílio dele em Berlim e Thom Pain - Lady Grey, espetáculo inédito nos palcos paulistanos. Thom Pain - Lady Grey (2006) é formada por dois monólogos do escritor Will Eno.


Avenida Dropsie

Mostra Sutil 15 Anos

Avenida Dropsie • Não Sobre o Amor • Thom Pain – Lady Grey

4 de fevereiro a 5 de abril

Teatro do SESI – São Paulo
Avenida Paulista, 1313 – São Paulo
Tels (11) 3146-7405 e 3146-7406
www.sesisp.org.br/centrocultural

Quarta a domingo 20h
Quartas - entrada franca
Quinta a Domingo - R$ 10,00 e R$ 5,00 (estudantes e idosos)
Bilheteria aberta de quarta a domingo das 12 às 20h.
Os ingressos para o dia gratuito (dois por pessoa) devem retirados na bilheteria no dia do espetáculo.

4 de fevereiro a 1 de março
Quartas e quintas: Avenida Dropsie
Sextas e sábados: Não Sobre o Amor
Domingos: Avenida Dropsie

4 a 8 de março
De quarta a domingo: Thom Pain – Lady Grey

11 a 15 de março
De quarta a domingo: Avenida Dropsie

18 a 22 de março
Quarta e quinta: Não Sobre o Amor
Sexta a domingo: Avenida Dropsie

25 de março a 5 de abril
Quarta a domingo: Avenida Dropsie

10.2.09

Blame It on Rio

Share

Vazaram as fotos do ensaio de Madonna para a revista americana W. Fotografada por Steven Klein e com direção de arte de Giovanni Bianco, a cantora ao invés de fazer a turista-careta e visitar cartões postais, se deixar levar pelo feitiço do Rio na companhia de homens e irresistíveis distrações. Entre eles o modelo e affair Jesus Luz. Fotos do site Madonna Online.







A edição da revista com as 24 fotos sai em março.

6.2.09

Madonna - Doce e Pegajosa

Share

por Givago Oliveira



Foi se o tempo em que Madonna preparava grandes surpresas em seus espetáculos. Desde 2001 em sua volta aos palcos (ela ficou 8 anos sem cair na estrada, sua última tour foi The Girlie Show - 1993) com a germinal “Drowned World Tour”, a cantora fincou um estilo próprio de se apresentar. Numa Média de 4 blocos temáticos, divididos em intervalos com clipes produzidos especialmente para cada tour, com releituras de músicas menos conhecidas e nem por isso menos importantes em sua carreira.

Outros elementos que sempre se repetem é o flerte ora com a latinidade, ora com o étnico, há sempre o momento Rock Fake com Madonna à frente (não) tocando guitarra, recurso claro para ganhar fôlego. Afinal, tornou-se uma obsessão da cantora, nos mostrar como seu corpo robótico é forte e flexível e suas coreografias simétricas estão quase à prova de erros ou quedas.



Antes, o show era Madonna, cada olhar estava apontado para ela. Apesar dos bailarinos estarem mais evidentes, eles tinham o papel de antagonizar ou serem coadjuvantes de suas epopéias musicais. Hoje, o palco é mais tecnológico e imagético, seus bailarinos são uma extensão do corpo da cantora, tudo é uma coisa só trabalhando para impressionar a audiência.

Bloco Pimp

O show inicia-se com Madonna sentada num trono em forma de M, nas laterais dois “emes” cravejados de brilhantes fazem do palco um Gueto-Star-floor de luxo. É um convite para conhecermos esse mundo madonnico miscigenado. “Candy Shop” alegra os presentes e Madonna é recebida como se auto-proclama: uma Rainha. Sua postura sentada no trono e sorrindo quase falsamente, parece ter a seguinte legenda: - Who’s the queen? A música segue.



Seus súditos deliram com a cafetina em um carrão “antique”, que surge no palco. “Beat goes on” leva todos a uma Nova York, com suingue sonoro dos sucessos da Motown, pastiche é claro, mas não menos charmoso e divertido a seu modo. Numa versão Rock Star uma raivosa Madonna canta “Human Nature”, no telão uma Britney mais conceitual, fica cansada, agoniada e exausta, por estar presa num elevador. A metáfora de que a fama faz você subir, mas quando você é esquecido no topo, é fácil perder a cabeça. Funciona.



Intro de “4 minutes”, mas é apenas um flerte, a próxima música é “Vogue”. Rostos cobertos com renda, fragmentos, sobrepostos aos toques de “tic-tac” sob a melodia – house – hip hop - , nos faz lembrar que o hit hedonista, celebra a liberdade de ser quem você é, já tem 18 anos. A coreografia street e o visual andrógino não lembram quase nada o glamour dos velhos tempos, aqui a mensagem é: “o tempo esta passando e você precisa trabalhar seu corpo, veja a beleza em fragmentos e continue acreditando em você mesmo”.

Madonna desaparece e um ringue de luta livre traz dois dançarinos em ação. No telão lá esta ela, lutando contra si mesma. As imagens são lindas e “Die Another Day” é o prelúdio do bloco mais festejado do show. O bloco Anos 80.



Nos telões imagens dos desenhos do artista gráfico Keith Haring (que foi amigo de Madonna, e faleceu em 1990 vítima da Aids). Precursor da “arte grafite”, seu trabalho faz um excelente pano de fundo aos “early years” de Madonna em NYC. Estamos dançando “Into the Groove”, quem vem com roupagem nova. A versão cantada no show contém samplers de um remix da música “Toop Toop” do Cassius. O figurino é colorido, Madonna divertida pula corda, dança e evoca a galera, até cair no chão exausta, enquanto barulhos de um coração pulsando ecoam pelo Morumbi. É “Heartbeat”, na mesma versão do álbum. No telão imagens de eletrocardiogramas são exibidas, a cantora desce até o chão onde deita e simula uma masturbação bem contida. Ela volta a empunhar sua guitarra e canta “Bordeline”, o estádio em coro canta junto. A nova versão rocker é pegajosa.



Começa “She’s not me”, com uma irada Madonna tirando satisfação com as bailarinas que surgem como clones dela mesma. No final a cantora beija uma delas e o público adora. Acordes de “Last night a Dj saved my life” emocionam o público. Com samplers de “Put your hands for a Detroid”, a sensacional “Music”, esta de roupa nova. Nos telões imagens de grafites e um trem que traz os bailarinos de volta, todos dançam enlouquecidamente. O trem volta e os leva de volta.

Samplers de “Rain” sobrepostos ao hit da banda “Eurythmics”, “Here Comes The Rain Again”, no telão um ser é criado e vai morar num jardim e encanta-se com a natureza. Dançarinos com uma vestimenta japonesa dançam de forma robótica numa coreografia hipnótica. Vai ficar sensacional no DVD oficial.

Bloco Gypsy

As luzes do palco se apagam. Na ponta da passarela os telões em formato cilíndrico encobrem a cantora. “Devil Wouldn’t Recognize You”, Madonna canta sofrida e o clima é soturno e as imagens gráficas de chuva são um deleite visual. Segue “Spanish Lesson”, a boa coreografia e as imagens gráficas do telão, não são capazes de animar, a pior canção gravada pela artista em anos, mas Madonna doa-se ao máximo. Segue “Miles Away” e o público celebra. “La isla Bonita” que é outro ponto alto para os não - fãs, a versão requentada do Live Earth, anima, as imagens de mosaicos são bonitas e todos adoram “saber cantar a letra”. “Doli Doli Doli” e fomos comprar um milho, mas chegamos a tempo de ver Madonna emocionada cantando a bela “You must love me”, clima ternurinha no ar.



Segue o vídeo de “Get Stupid”, muito parecido com o vídeo de “Sorry” da Confessions Tour. È o momento politizado, e assim como Bono Vox a mega star, peca por excessos e por chover no molhado. Mas ninguém se importa, as imagens são boas e a música também. Koyanisqtsi remix é tudo.

Bloco Rave



Madonna segue num figurino horrendo, porém com uma franjinha que já é tendência no mundo da Moda. Blocos movimentam-se pelo palco e Justin Timberlake parece dançar ao vivo com a diva. Curioso é que o estádio não vem a baixo com “4 minutes”. Mas eis, que surgem letras hebraicas com frases cabalísticas e sim, é “Like a Prayer”, com remix inédito ao vivo e a cartase é geral. “Ray Of Light” é executada como na Confessions Tour e o público estende a emoção. Ela dá uma pausa e conversa com o público, baba ovo por São Paulo e canta “Like a Virgin” a capela e manda ver “Hung Up” numa versão nervuda e rocker. Muita gente reclama, nós do iPod aprovamos. Chega “Give It 2 Me”, Madonna com óculos oitentinha e imagens de vídeo game antigo no telão, ela e sua trupe dançam até a exaustão. Até que vemos abruptamente a inscrição: “Game Over” no telão.



Ela agradece quase que tímida e as luzes do Morumbi se acendem. Toca “Holiday”, e estamos todos com os olhos umedecidos. Sim, é verdade o maior espetáculo da terra acabou de acontecer na nossa frente.

Como num filme Madonna e sua Tour “mais família”, mostra que ela é doce e dura, que gosta de dançar, que não vai parar por críticas azedas de pixadores desconhecidos, mas que sente o tempo passar e que mesmo assim ela continua “sendo”. E que sim – A década de 80 foram os anos mais importantes de sua carreira e foi onde tudo começou: a dança, a construção da sua imagem e suas transmutações e que se sente ligada ao mundo fora das fronteiras de seu reinado e por fim tenta nos alertar que é preciso antes de tudo: dançar, cantar, criar e criticar, mas sem perder a lucratividade.

4.2.09

bjomesubdesenvolva XII

Share

Então tá Alanis, você quis vir para o Brasil, fazer shows para índios com aqueles pratos nos beiços (ainda existem?), nadar com botos e dormir em rede. Tomou vacina contra febre amarela? Acordou "mordida"?

"Eu basicamente disse aos meus produtores: 'Quero ir à América do Sul, organizem uma viagem que faça valer a pena ir até lá embaixo e cantar para as pessoas'. E eles voltaram com essa lista de cidades" disse em entrevista.

Foram 11 cidades: Manaus, Brasília, Fortaleza, Recife, Salvador, São Paulo, Rio, BH, Florianópolis, Porto Alegre e Teresina. Nessa última segundo a Folha, "o público podia assistir ao show pagando R$ 5 ou, segundo espectadores, trocando um simples chiclete por ingresso no mercado 'paralelo'".



Bem que você quis saber como é aqui embaixo.
(Insira piada com "Ironic" aqui).

2.2.09

Vídeos da Semana - 24/01 a 02/02

Share

The Ting Tings - That's Not My Name (Laçamento EUA)

Clique aqui para ver. Prefiro o orignal.

The BPA - He's Frank (Slight Return) com Iggy Pop

A música é ótima e Iggy Pop é mais medonho ainda como boneco!

Telepathe - So Fine

Novo single da banda indie Telepathe, o que vale aqui é a música ;)

Final Fantasy - Horsetail Feathers

O som é para quem gosta de Rufus Wainwright, e o vídeo é bem melhor do que os últimos do próprio. Adorei o visual.

Air France - No Excuses

Os vídeos da ótima banda suiça Air France continuam mostrando belezas naturais, mas diferente de "Collapsing at Your Doorstep", a natureza é sombria, o céu cinzento e mesmo assim o mar é aproveitado - lindo.

Lykke Li - Tonight

Bonito vídeo em preto e branco da cantora para o novo single.

Nous Non Plus - Loli

A banda francesa estilo Ting Tings/Strokes já é ótima, música para bater palma; e o vídeo também é imperdível! O melhor da rodada, certeza!

Comercial Pepsi - Bob Dylan e Will.I.Am - Forever Young

Boa sacada publicitária: a contracultura se refresca!