Quem Mexeu no Meu iPod?






26.1.12

Os Favoritos de 2011 | Álbuns

Share


Em ordem alfabética. Foto: Reuters

Adele - 21

Destaques: Rolling In The Deep, Turning Tables, Set Fire To The Rain, Someone Like You
Gênero: Soul, Blues, Pop
Pra quem gosta de: Amy Winehouse

Architecture in Helsinki - Moment Bends
Destaques: Escapee, That Beep, Contact High
Gênero: Indie Pop
Pra quem gosta de: Peter Bjorn and John

Battles – Gloss Drop
Destaques: Ice Cream, Futura, Africastle
Gênero: Rock experimental
Pra quem gosta de: Bloc Party

Beastie Boys – Hot Sauce Committee Part Two
Destaques: Make Some Noise, Nonstop Disco Powerpack, Ok
Gênero: Hip hop alternativo
Pra quem gosta de: Run-D.M.C.

Björk – Biophilia
Destaques: Moon, Virus, Crystalline, Hollow
Gênero: Trip-hop eletrônico
Pra quem gosta de: The Knife

Bon Iver - Bon Iver
Destaques: Beth/Rest, Calgary, Holocene
Gênero: Indie folk
Pra quem gosta de: Fleet Foxes, Iron & Wine

20.1.12

Os Favoritos de 2011 | Clipes

Share


Em ordem alfabética. Foto: Reuters

Bonecos animados, violência gráfica, metaleiros na praia, crianças malvadas, shows na Lua, orçamento apertado, grandes produções, crueldades, estética hype, vintage look, anos 90, lanche de barata, homenagem a John Hughes, peladões, criatividade, filmetes cinematográficos e muita gente dançando como se ninguém estivesse vendo!

Adele – Rolling In The Deep


Battles – Ice Cream


Battles – My Machine


Beastie Boys – Make Some Noise


Beth Ditto – I Wrote The Book


Veja mais, continue clicando em "Continue mexendo"...

15.1.12

Os Favoritos de 2011 | Filmes

Share


Em ordem alfabética. Foto: Reuters



A Árvore da Vida (The Tree of Life, Terrence Malick)
Numa odisséia de lindas imagens em busca das questões mais importantes que temos, o diretor Terrence Malick capta emoções, ideias e conceitos com habilidade, não escondendo a ideia de um Deus para dar sentido ao universo e às contradições. Filme sem cinismo. Pessoalmente, encarei como uma visita a igreja: as imagens são bonitas, mas isso pra mim não passa de arte. Um "Koyaanisqatsi" cristão.



A Pele que Habito (La Piel que Habito, Pedro Almodóvar)
Mestre do pastiche, Almodóvar volta a dirigir Antonio Banderas, neste que é o mais sádico de seus melodramas e um excelente estudo sobre gêneros, corpos, identidade e resitência. Roteiro magnífico.



Cópia Fiel (Copie Conforme, Abbas Kiarostami)
Um sofisticado filme com diálogos filosóficos sobre a arte e relacionamentos. Poderoso e misterioso, uma cópia da vida. Juliette Binoche nunca esteve tão bonita. Para ser visto mais de uma vez! Interprete como quiser.



Homens e Deuses (Des Hommes et des Dieux, Xavier Beauvois)
Filme denso e bonito que questiona a fé, persistência e comprometimento. Atuações fortes e um fenomenal trabalho com a câmera.



Hanna (Joe Wright)
Ágil, estiloso e bem dirigido por Joe Wright (Reparação), esse filme de ação tem uma trilha badass feita pelo Chemical Brothers e Cate Blanchett como a minha vilã favorita do ano!



Histórias Cruzadas (The Help, Tate Taylor)
Cativante, mas típico drama americano para o Oscar: roteiro adaptado e Viola Davis merecem o prêmio!



I Saw The Devil (Akmareul boatda, Jee-woon Kim)
Os sul-coreanos adoram uma vingança, e esta é sinistra: nesta trama cheia de boas perseguições e com muita violência gráfica que ultrapassa o exagerado (mas nunca o gratuito), você só quer saber como termina!



Meia Noite em Paris (Midnight in Paris, Woody Allen)
Uma declaração de amor original de Woody Allen para a Cidade da Luz, mas mais importante, um passeio nostálgico, artístico e feliz. O melhor desde "Vicky Cristina Barcelona".



Melancolia (Melancholia, Lars Von Trier)
A depressão também pode ser retratada como a ansiedade da morte. O apocalypse mais bonito do cinema.



Missão Madrinha de Casamento (Bridesmaids, Paul Feig)
A versão feminina das comédias grosseiras como "Se Beber Não Case" + Kristen Wiig e Melissa McCarthy impagáveis na melhor comédia do ano!



Planeta dos Macacos - A Origem (Rise of the Planet of the Apes, Rupert Wyatt)
A origem que ninguém queria assistir acabou se tornando uma história muito bem contada e com a incrível interpretação de Andy Serkis como César, o símio rebelde.



Super 8 (J. J. Abrams)
Há tempos não via um filme tão divertido assim!



Toda Forma de Amor (Beginners, Mike Mills)
Um drama otimista sobre a saída de armário de um viúvo de 75 anos (o excelente Christopher Plummer) e os relacionamentos trepidados de seu filho (Ewan McGregor) quando o mesmo tem que cuidar dos últimos anos de vida do pai. Sobre a vida, amores e perdas.

10.1.12

Os Favoritos de 2011 | Séries de TV

Share



Em ordem alfabética. Foto: Reuters




30 Rock
Na quinta temporada, a série estrelada por Tina Fey, Alec Baldwin e Tracy Morgan, continua hilária e inovando a forma de fazer comédia na TV, parodiando a si mesma e a outras séries. Destaque para o episódio especial de número 100 com duas horas de duração e gravado ao vivo e também a um episódio inteiro dedicado a um reality show fictício estrelando a esposa de Tracy Jordan.



Boardwalk Empire
Melhor do que muito filme, a série da HBO produzida por Martin Scorsese conseguiu manter o nível de sua primeira e excelente temporada. Do mais alto escalão político até os bordéis e prostitutas mais sujas, Boardwalk Empire remete ao passado para cutucar nossos valores de hoje.



Bob's Burgers
A crise econômica, a vida azarada e a moral duvidosa de uma família nunca foi tão engraçada! Esse que é o desenho de humor negro da vez, conta com os três personagens animados mais politicamente incorretos desde Stewie Griffin, de Uma Família da Pesada.



Breaking Bad
Uma das razões por Breaking Bad ser uma das melhores séries de todos os tempos é o trabalho fenomenal dos roteiristas e diretores em apresentar uma trama complexa e costurar tudo para um final bem satisfatório. Adicione aí episódios extremamente tensos, nervosos, lindamente filmados, personagens verdadeiros e sempre com uma reviravolta inesperada! Num ano sem Mad Men, é a melhor série de 2011.



Dexter
A sexta temporada não teve a intensidade da quarta, mas depois de uma quinta temporada tentando reestruturar a vida do serial killer mais legal de todos os tempos, esta última volta à essência do personagem e da série, além de questiona sua fé (ou falta de). E a próxima promete bagunçar tudo outra vez ;)



Fringe
Melhor série de ficção científica da televisão atualmente, Fringe mostrou ser um labirinto misterioso ao ir e voltar entre universos paralelos, flashbacks, Anna Torv (a agente Olivia Dunham) interpretando Leonard Nimoy (o conhecido Sr. Spock) e até mesmo um episódio parcialmente animado, tudo para montar um quebra-cabeça gigantesco criado por J. J. Abrams (Lost). Prato cheio para os nerds ;)



Game of Thrones
Série grandiosa derivada do mundo de fantasia de George R. R. Martin. Personagens fortes, detalhes impressionantes e uma trama política que te leva junto com as cenas de batalha mais bem feitas desde O Senhor dos Anéis. Um mundo de fantasia para adultos!




Homeland
Melhor estréia da temporada, esse thriller de terrorismo veio na hora certa. Uma década depois do "11 de Setembro", esse drama psicológico intenso testa os nervos do espectador e da excelente Claire Danes como a agente do CIA. Ela investiga um soldado de volta ao solo americano que possivelmente pode ser um terrorista num suspense de deixar todos sem ar! Falta muito para a segunda temporada?



Mildred Pierce
Uma mini-série da HBO com Kate Winslet e dirigida por Todd Haynes (Não Estou Lá, Longe do Paraíso, Velvet Goldmine). Ou como disse John Waters: "Este melodrama perfeito e elegantemente filmado feito para TV faz com que todos os que assistam desejem secretamente ser uma mulher com problemas pessoais. O melhor filme de época em décadas — ponto final."



Modern Family
Pegando emprestado os elementos mais legais de "Arrested Development" e "The Office", Modern Family continua a ser uma das melhores sitcoms da TV, com episódios geniais e com famílias interessantes e divertidas, cada uma do seu jeito.



The Walking Dead
Depois de uma primeira temporada promissora, curta, mas com um final bem fraco, em sua volta, Walking Dead se consagrou como uma ótima série de suspense e horror na medida certa! E o melhor de tudo: a segunda temporada ainda não acabou!