Quem Mexeu no Meu iPod?






24.3.10

Cinema em cartaz

Share

Nesta sexta-feira (26), às 20h, a tradicional Sutil Companhia estreará o 20º espetáculo do grupo, Cinema, no Teatro do Sesi São Paulo. Haverá sessões de quinta-feira a sábado, às 20h, e domingo, às 19h. A entrada é franca em dias úteis. Com direção de Felipe Hirsch e cenografia assinada pela premiada Daniela Thomas, Cinema não é uma homenagem explícita à sétima arte.
Depois da experiência atrás das câmeras – com o lançamento comercial do filme Insolação também programado para esta semana –, o diretor resolveu usar o cinema como uma metáfora para falar sobre ver e ser visto. No twitter eles disseram que as referências vão de Fellini à Godard, passando por obras conceituais e raridades. Podemos esperar um grande espetáculo, estão no curriculo dessa que talvez seja a melhor e mais produtiva companhia de Teatro do Brasil obras primas como: Temporada de Gripe, Avenida Dropsie e mais recentemente Não sobre o amor.

Serviço:
Espetáculo: Cinema
Local: Teatro do Sesi São Paulo
Endereço: Av. Paulista, 1313 – metrô Trianon-Masp, Capital
Entrada franca às quintas e sextas
Temporada: de 26 de março a 4 de julho de 2010.
Quinta-feira a sábado, às 20h; domingo, às 19h.
Duração: 90 minutos
Recomendação etária: Não recomendado para menores de 14 anos.
Gênero: comédia dramática
Capacidade: 456 lugares
Entrada: Franca às quintas-feiras e sextas-feiras. Nos dias gratuitos, a distribuição dos ingressos tem início a partir da abertura da bilheteria no mesmo dia do evento. Horário de funcionamento da bilheteria: de quarta-feira a sábado, das 12h às 20h; domingo, das 11h às 19h. São distribuídos dois ingressos por pessoa. Sábados e domingos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Vendas na bilheteria do teatro ou pela Ticketmaster (11-2846-6000).

23.3.10

FITZ & The Tantrums - Songs For a Breakup Vol. 1

Share



A ex-namorada de Fitz tinha um vizinho que queria se livrar de um orgão velho de igreja, então ela colocou todas as diferenças de lado e ligou para o ex-namorado e ele comprou. Esse gesto inspirou Fitz a escrever naquela noite Breakin' the Chains of Love e eventualmente, o EP Songs For A Breakup Vol. 1 (Músicas para Separações). Fofo. As letras do álbum é cheia de declarações "eu te amo mas te odeio". É pop old school motown cheio de soul, mas incrivelmente novo. Uma delícia e viciante. Aproveitem!


Breakin' the Chains of Love


Winds of Change

No site oficial dá pra baixar algumas músicas.

22.3.10

Greenberg Trailer

Share



Greenberg é a nova comédia dramática do diretor de A Lula e a Baleia e Margot e o Casamento, Noah Baumbach. James Murphy (do LCD Soundsystem) é o responsável pela trilha sonora (All My Friends embala o trailer). Estreiou no fim de semana passado nos EUA e não tem previsão de estreia no Brasil.


"A vida é desperdiçada com... pessoas."

18.3.10

Massive Attack - Saturday Come Slow Video

Share

Mais um clipe conceitual de Massive Attack para o álbum Heligoland (baixe ao lado). Dessa vez é para a música Saturday Come Slow, e o vídeo de 8 minutos traz mais um depoimento. Se no clipe de Paradise Circus trazia os relatos de uma atriz pornô aposentada, agora é o preso Damon Albarn quem relata sua tortura com música em altíssimo volume.



Errata: "Quem canta a música é o Damon, mas o depoimento no vídeo é de Ruhal Ahmed, ex-detento de Guantánamo..." (via Cin)

17.3.10

Hot Chip - I Feel Better Video

Share

O novo single dos Hot Chip foi lançado e ganhou um clipe bizarro e divertido dirigido pelo comediante Peter Serafinowicz. Imaginar Hot Chip como boy band é tão estranho quanto o resto do clipe! Vejam abaixo:



O álbum One Life Stand pode ser baixado ai do lado!

16.3.10

Kasper Bjørke - Standing on Top of Utopia

Share

Descobri ontem que o DJ e produtor dinamarquês Kasper Bjørke lançou um segundo álbum, Standing on Top of Utopia e já conta com três singles. O primeiro deles é a sombria e romântica Young Again, que já está on repeat no iPod (vídeo abaixo dirigido pelos caras da Fortune).



Alcatraz, segundo single, ainda não ganhou clipe - a escolha foi Efficient Machine (com vocais de Tomas Hoffding, da banda WhoMadeWho). Destaque também para a melódica faixa Heaven.



Standing On Top of Utopia tem um pouco de disco, pop e um pouco de house e outras surpresinhas. Um álbum que continua o vasto talento do produtor começado com In Gumbo (um dos mais legais de 2007).

12.3.10

Sebastian Tellier – Look Video

Share

Assim como a música, novo clipe de Sebastian Tellier também é hipnótico!

8.3.10

Um Homem Sério

Share

Um homem Sério (A Serious Man, 2009)
Dir: Joel & Ethan Coen


"Quando a verdade se revela mentira, toda alegria interior se vai"

Para ler ouvindo:


Em seu novo filme “Um Homem Sério(Serious Man, 2009, EUA, Irmãos Coen), promove uma inteligente fita de humor negro, para questionar: “A vida é uma equação matemática mais complexa, que uma teoria física.” Ou seria o inverso? A tentativa ambiciosa de narrar problemas a fim de explicá-los não é algo que poderíamos esperar dessa dupla de diretores que criaram pérolas do cinema contemporâneo como: “Gosto de sangue”, “Barton Fink”, “Fargo”, “O homem que não estava lá” e mais recentemente “Onde os fracos não têm vez”.

Depois de um breve prelúdio que, em 1.33:1 utiliza uma parábola de cunho judaico para apresentar o tema principal do filme (a incerteza acerca do sobrenatural e da Fé), o roteiro nos apresenta ao ansioso professor de física Larry Gopnik (Michael Stuhlbarg) que, prestes a conseguir uma sonhada estabilidade na faculdade em que leciona, vê seu mundo desabar em função de uma série de pequenos e grandes problemas: sua esposa pretende se divorciar para se casar com outro homem; seus superiores vêm recebendo cartas anônimas ao seu respeito e que podem ameaçar seu emprego; um aluno ameaça denunciá-lo por extorsão; seu irmão mais velho parece decidido a morar para sempre na sala de sua casa; seu vizinho insiste em roubar parte de seu terreno; e um certo “clube do disco” passa a cobrar várias e caras mensalidades por um serviço que ele não assinou. Assim, mesmo enquanto ensina o paradoxo de Schrödinger (sobre o gato que, de acordo com a mecânica quântica, encontra-se simultaneamente vivo e morto até que um observador possa constatar seu estado real), Larry mergulha em questões puramente metafísicas, como a natureza de Deus e os obstáculos que este coloca no caminho daqueles que quer testar.


O filme permeia a idéia de que é mais difícil acompanhar nessa história sobre um homem sério, é assistir as disfunções diárias e as experiências nada justas que o protagonista vivencia. Ao invés de uma explicita narração de fatos descritivos, opta-se por uma subjetiva apresentação de ações que geram conseqüências que fogem o físico, mas o moral. Nosso homem e um caleidoscópio, de diversas experiências desagradáveis, exclusivas e difíceis de serem explicadas, talvez apenas sentidas, por isso a relativação é necessária para que se possa viajar junto com o personagem em seu inferno pessoal.

Buscando encontrar sentido mesmo para suas dúvidas existenciais (em certo instante, ele sonha com uma imensa equação que explicaria a incerteza do universo), ambiciona principalmente ser considerado um “homem sério” por seus pares, o que torna seu “rival” Sy Ableman (reparem o sobrenome) ainda mais irritante em função de sua postura de superioridade, sua enunciação impecável e cuidadosa e, claro, seu status diante da comunidade.
Trocando em miúdos, “Um Homem Sério”, é um retrato de um homem em apuros, que apesar de ser judeu, parece não depositar nenhuma confiança em suas crenças, pois sua procura por respostas com os rabinos são inusitados e inúteis. Aliás, um dos rabinos pode ser o símbolo do filme: Marshak só aparece em duas cenas, mas o seu diálogo com Danny Gopnik (filho do Larry) após seu bar mitzvah é a prova da originalidade do filme. Marshak fala lentamente o que pareciam palavras de sabedoria, quando na verdade são apenas umas linhas da música Somebody To Love (Jefferson Airplane).

Em uma das passagens um dos rabinos diz: “Vamos dar um passo atrás para entender a situação”. A vida pode apresentar situações que mostre como tudo que você pensa ser de uma maneira, acontece de outra. E não existe uma teoria fácil pra explicar isso. “É preciso, como judeu, explicar as coisas que não entendemos desenhando, ou usamos algum processo como escrever uma carta”. Apoiado nessa afirmação de uma personagem secundaria, os próprios diretores se utilizam de uma sucessão de imagens recheadas de sensação e economizam no texto, para transcorrer a história.


Cada vez mais seguros na direção, cada plano do filme tem um significado contido, casa close, cada movimento de câmera tem um propósito. Existe em sua estrutura um rigor estilístico poucas vezes tão bem apoiado a função de narrar o filme. A trilha sonora e as repetições usadas são mais um tempero, para essa triste e sarcástica história que tem como explicação a “aceitação do mistério” e as chances que temos com os demais personagens da nossa vida são: se estiver desesperado, as pessoas vão minimizar seu problema, caso demonstre, elas vão criar um drama que provavelmente você vai se sentir humilhado. E quanto o vislumbre de se apoiar em Deus, nunca nem os personagens do filme, nem os espectadores dessa tragicomédia vão saber se existe de fato essa possibilidade, ao que tudo indica para os diretores, seu anti-herói é como o gato da teoria que ele tenta explicar para seus alunos no começo do filme. Estamos meio mortos e meio vivos e, sobretudo com a certeza de contar com algo superior é certo, ou não.

4.3.10

Goldfrapp - Rocket Video

Share

Dancinhas, cenário retro-futurista e Allison Goldfrapp vingativa no melhor clipe do ano so far! Rocket, primeiro single de Head First, novo álbum da banda, foi dirigido por Kim Gehri que já dirigiu Calvin Harris, Primal Scream e Santogold.



Abaixo, um preview do que esperar de Head First que chega as lojas (e na web) dia 22.


UPDATE: Baixe "Believer" (outra faixa do álbum) nos comentários!

Broken Bells - The High Road Video

Share

On repeat total: The High Road, numa das melhores músicas do ano do projeto Broken Bells do músico e produtor Danger Mouse (Gnarls Barkley) e James Mercer (Blur, Gorillaz, The Shins), o clipe se passa numa estrada onde estranhas situações acontecem enquanto a dupla, com lanternas, passeiam por ela.



Baixe o primeiro e ótimo álbum ao lado!